segunda-feira, 30 de novembro de 2009

Manual para responder aos Críticos - Não faz e critica quem faz - Hipocritas!

Hipocrisia! Esse parece ter sido o mal que mais provocou a ira de Jesus. Ele lidava bem com as incoerências humanas; fazia-se acompanhar dos que sabiam quem não eram; gostava da amizade deles; e ajudava-os com paciência a crescerem para ser quem ainda poderiam ser, caso descansassem na Graça de Deus.

De fato, Jesus ensinou que o maior progresso vem do descanso, da confiança, e da paz que encontra amparo na misericórdia de Deus. Esses são os doentes que precisam de médico! A impaciência de Jesus se projetava sobre os doentes que diziam não precisar de médico por uma única razão: eles não queriam ser curados, e viviam da fuga de oferecerem sua “doença” como padrão de saúde para os demais homens. Daí eles, quando conseguiam transformar alguém em seus discípulos, de acordo com Jesus, fazerem dessa pessoa um filho do inferno em dose dupla. O problema básico do hipócrita é que ele não quer cura, e, muito menos, admitir que é doente.


Então, ele abre um hospital para os doentes que eles elegeram como seus discípulos. E, esse coitados discípulos, pelo convívio com esses médicos-de-si-mesmos, acabam adoecendo a ponto de passarem a precisar ser internados num hospício. E a culpa passa a ser deles!


A hipocrisia é como infecção hospitalar que “pega” alguém que foi fazer um exame de sangue, e sai do hospital carregando Aids.


Você é hipócrita quando esconde as suas incoerências; e, então, oferece a si mesmo como referencia de saúde para todos; e pior ainda: quando encontra alguém que é exatamente como você—e todos são igualmente iguais—, mas trata essa pessoa com o ódio que você sente acerca de si mesmo; ou quando trata a tal pessoa como se aquilo que estivesse acontecendo com ela fosse algo impossível de acontecer a qualquer ser humano caído. E todos caíram, e todos carecem da Graça de Deus!


O hipócrita, portanto, é descrito de modo perfeito em Mateus 23. Leia: Então falou Jesus às multidões e aos seus discípulos, dizendo: Na cadeira de Moisés se assentam os escribas e fariseus. Portanto, tudo o que vos disserem, isso fazei e observai; mas não façais conforme as suas obras; porque dizem e não praticam. Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; mas eles mesmos nem com o dedo querem movê-los.


Todas as suas obras eles fazem a fim de serem vistos pelos homens; pois alargam os seus filactérios, e aumentam as franjas dos seus mantos; gostam do primeiro lugar nos banquetes, das primeiras cadeiras nas sinagogas, das saudações nas praças, e de serem chamados pelos homens: Mestre. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque fechais aos homens o reino dos céus; pois nem vós entrais, nem aos que entrariam permitis entrar.


Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque devorais as casas das viúvas e sob pretexto fazeis longas orações; por isso recebereis maior condenação. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque percorreis o mar e a terra para fazer um prosélito; e, depois de o terdes feito, o tornais duas vezes mais filho do inferno do que vós. Ai de vós, guias cegos! que dizeis: Quem jurar pelo ouro do santuário, esse fica obrigado ao que jurou. Insensatos e cegos! Pois qual é o maior; o ouro, ou o santuário que santifica o ouro? E: Quem jurar pelo altar, isso nada é; mas quem jurar pela oferta que está sobre o altar, esse fica obrigado ao que jurou. Cegos!


Pois qual é maior: a oferta, ou o altar que santifica a oferta? Portanto, quem jurar pelo altar jura por ele e por tudo quanto sobre ele está; e quem jurar pelo santuário jura por ele e por aquele que nele habita; e quem jurar pelo céu jura pelo trono de Deus e por aquele que nele está assentado. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei; a saber: a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas. Guias cegos! que coais um mosquito, e engolis um camelo.


Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque limpais o exterior do copo e do prato, mas por dentro estão cheios de rapina e de intemperança. Fariseu cego! limpa primeiro o interior do copo, para que também o exterior se torne limpo. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque sois semelhantes aos sepulcros caiados, que por fora realmente parecem formosos, mas por dentro estão cheios de ossos e de toda imundícia.


Assim também vós exteriormente pareceis justos aos homens, mas por dentro estais cheios de hipocrisia e de iniqüidade. Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque edificais os sepulcros dos profetas e adornais os monumentos dos justos, e dizeis: Se tivéssemos vivido nos dias de nossos pais, não teríamos sido cúmplices no derramar o sangue dos profetas.


Assim, vós testemunhais contra vós mesmos que sois filhos daqueles que mataram os profetas. Enchei vós, pois, a medida de vossos pais. Serpentes, raça de víboras! como escapareis da condenação do inferno?

Veja que todas as ênfases de Jesus resumem-se há apenas algumas coisas:
1. Tentar parecer ser o que se não é.

2. Impor a aparência exterior como paradigma para os demais.

3. Viver da arrogância de clonar o ser do outro conforme a nossa própria e falsa aparência.

4. Privilegiar as performances visíveis aos olhos, detendo a verdade que existe no ser.

5. Usar o poder da religião, ou da moral, ou da ética, ou das etiquetas, como instrumento de poder e opressão sobre os que procuram ajuda.

6. Oferecer-se como representante de Deus entre os homens.

7. Criar um sistema de aferimento espiritual baseado na reverencia concedida a si mesmo.

8. Afirmar-se com guia do próximo, sendo que o coração sabe que para dentro não se enxerga nada além de podridão.

9. Manipular o saber religioso e fazer dele uma adaptação que justifique as conveniências da própria doença; enquanto se alegra ante a submissão do próximo diante dele.

10. Transformar a própria arrogância em missão; daí o percorrerem os mares a fim de piorar os seres humanos, ensinando-os a praticarem as obras que um pagão não realiza: pregar a verdade de Deus como opressão e controle.

Todo hipócrita é inseguro. O que habita a hipocrisia é a insegurança que se transformou em maldade. O ser inseguro pode se transformar num ser mal, se a sua insegurança se deixar possuir pela ânsia de poder sobre o próximo.

Todo hipócrita é invejoso. Todo hipócrita é cínico. Todo hipócrita não se enxerga. Todo hipócrita não tem outro mundo se não o exterior.

Assim, dei uma entradinha rápida aqui e escrevi isso meio no tranco. Fiz isto apenas porque acabei de conversar com uma pessoa gente boa de Deus, mas que vive hoje a angustia de confundir sua dor de auto-descoberta, de incoerências, e de doenças pessoais, com hipocrisia.

Hipócritas não procuram aconselhamento. Hipócritas não confessam pecados. Hipócritas só chamam de pecado aquilo que pode ser verificável pelos olhos da carne. Daí o hipócrita sofrer seu próprio erro como castigo.

Ele é um inseguro que ao invés de confessar sua insegurança, e suas próprias incoerências, transforma-as em instrumento de dominação sobre o próximo.


Então, vira diabo. O hipócrita é o cara que quer todo mundo tão raso, tão exteriorizado, e tão doentemente sadio quanto miseravelmente doente ele é.

O hipócrita não é quem peca e se sabe pecador. O hipócrita é aquele que acaba se convencendo acerca da mentira de que ele próprio não peca. O Hipócrita se sente ofendido pela Graça de Deus. Não sei porque escrevi isto aqui, e agora. Mas Deus sabe. E para os pastores que começaram a se enxergar, fica aqui uma palavra de irmão: Ao invés de se calar ante suas própria incoerências, afirme o amor de Deus baseado nelas próprias.


E não ponha sobre os homens os pesos que você mesmo sabe que ninguém consegue carregar. Anuncie a Palavra para você mesmo, e, como decorrência, para quem quiser ouvir. Mas deixe uma coisa bem clara: a Palavra é, sobretudo, para você; por isto é que você a prega.

Quanto ao mais, Jesus no ensinou o caminho da cura para hipocrisia.

Leia: Vós, porém, não queirais ser chamados de Mestre; porque um só é o vosso Mestre, e todos vós sois irmãos.

E a ninguém sobre a terra chameis vosso pai; porque um só é o vosso Pai, aquele que está nos céus.

Nem queirais ser chamados guias; porque um só é o vosso Guia, que é o Cristo.

Mas o maior dentre vós há de ser vosso servo.

Qualquer, pois, que a si mesmo se exaltar, será humilhado; e qualquer que a si mesmo se humilhar, será exaltado.

Esta é a Palavra que cura a hipocrisia. Nela está a nossa libertação.

Um beijo para todos. Nele, que não tem máscaras, Caio Fabio.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário