terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Internet e os perigos para nossos filhos


Os pais precisam questionar seriamente a necessidade dos seus filhos serem supervisionados no acesso aos telefones celulares e aos computadores. As mensagens de texto, fotos impróprias e conversas fúteis são elementos de liberdade, para os quais os jovens não estão preparados. Alguns jovens ficam enviando textos na escola e durante os cultos, em vez de prestarem atenção às aulas ou permitir que o Senhor fale com eles. A privacidade e a liberdade oferecidas através do celular, do computador e do carro, devem ser para os adultos espiritualmente maduros e responsáveis; não para os filhos imaturos, hedonistas e irresponsáveis. É um enorme desafio conduzir o coração de um filho para Cristo, restringi-lo e conservá-lo na disciplina e admoestação do Senhor. Então, por que deveria um pai complicar tremendamente este desafio, permitindo ao filho um não supervisionado e descontrolado acesso aos telefones celulares e aos computadores? Fazer isso, neste mundo satanicamente controlado, será quase como ensinar o seu filho a nadar, enquanto ele está usando calçados de concreto.


Possíveis linhas de orientação

Permitam-me sugerir algumas maneiras pelas quais os pais possam ter o controle e supervisão nestas áreas:

1. - -O computador jamais deve ficar no quarto do filho, mas, de preferência, no lugar mais público da casa, como a cozinha ou outra área mais frequentada pelos membros da família. O computador e o laptop devem ficar numa posição em que os transeuntes possam ver, imediatamente, o que está sendo mostrado no monitor.

2. - A nenhum computador para os filhos ou algum outro membro da família deve ser permitida a falta de um software que possa ser regularmente examinado pelos pais, responsáveis ou esposa, o qual revele tudo que tenha sido visto nesse computador.

3. - Uma prestação de contas é crucial. Enviar textos tem se tornado a mania de muitos jovens. Esta obsessão, por causa dos mesmos perigos morais do computador, deveria tornar-se inacessível ou estritamente monitorada.

4. - O software é indispensável, a fim de que seja evitado que a maior parte da pornografia e outros sites questionáveis sejam acessados. Qualquer computador doméstico precisa ser assim equipado. Não existem “provas fúteis”, daí porque a vigilância e a intima supervisão dos computadores continuam sendo necessárias.

Bênçãos versus Maldições

Costumo comunicar-me com minha filha, no campo missionário, através do computador. Isto supera qualquer correio moroso, o qual exigia semanas e às vezes nem chegava. O acesso às notícias locais e mundiais, de uma variedade de fontes, que chegam quase instantaneamente, é uma bênção maravilhosa e agradável. A habilidade de se encontrar um produto desconhecido ou popular “online”, a um preço módico, economiza muito tempo e esforço. Posso pesquisar desde a supressão teológica da ética à mais venenosa aranha, sem me dar ao trabalho de chegar até uma biblioteca. Posso me manter informado sobre grupos, missionários, ministros e organizações cristãs através de suas “newsletters”. Estas são atuais, sem custo algum. Alguns estão a milhares de milhas de distância, nos países do terceiro mundo e, mesmo assim, posso orar por uma crise que aconteceu há 24 horas apenas. Os computadores provêem imediata acessibilidade a informações, produtos e serviços, de um modo sem paralelo, que a nós até hoje não havia sido disponível.

Podemos nos comunicar com amigos, estranhos, sócios e membros da família, instantaneamente, e a milhares de milhas de distância, com um simples click no mouse. Os computadores são uma das maravilhas da nossa era moderna. Oceanos, lagos, rios e lagoas provêem transporte, comércio, belezas cênicas, alimentação e recreação. Contudo eles também nos mostram tsunamis, inundações, afundamento de navios, e almas ressequidas. Armas de fogo provêem alimento para a mesa, caçadas, esportes e armas aos nossos militares. Mas também usamos armas para a caça recreativa e proteção às nossas vidas e propriedade. Mesmo assim, nenhum pai inteligente ou responsável iria permitir um acesso sem controle de suas armas aos seus filhos.

Do mesmo modo, devemos reconhecer que, embora a tecnologia do computador nos seja de tremenda ajuda, ela pode se tornar um desastre irremediável para os nossos filhos, e até mesmo para nós adultos. Restrições, controle, supervisão e prestação de contas não são apenas uma boa idéia, para os nossos computadores e telefones celulares, mas uma necessidade. Se um homem justo deve cuidar da vida dos seus animais (Provérbios 12;10), muito mais, zelosamente, não deveríamos cuidar de nós mesmos, de nossa esposa e de nossos filhos?

Ron Williams (hesed@kconline.org), reimpresso do Hephzibah Happenings,

Nenhum comentário:

Postar um comentário