terça-feira, 28 de setembro de 2010

Missões, ouvindo o grito do desesperado!

Uma famosa frase de Wesley nos reporta à visão Bíblica que orienta a verdadeira igreja de Jesus Cristo: “O mundo é a minha paróquia”. Temos ouvido sobre - e visto acontecer - muitas crises na vida da igreja.

Falsos líderes, falsas doutrinas, corrupção, misticismo substituindo a fé pura e verdadeira, mercantilização do Evangelho, construção de estruturas podres que só servem para exaltar o ego e macular o Corpo de Cristo. A lista é muito grande. Para sermos sinceros, sempre foi assim, desde o início da igreja; basta lermos a Bíblia e a história eclesiástica com mais atenção.

O que devemos fazer? O mesmo que fizeram os que nos precederam do Pentecostes até aqui: manter o compromisso de não darmos descanso a nós mesmos até que o verdadeiro Evangelho de Jesus Cristo cubra a Terra assim como as águas cobrem o mar. O Senhor Jesus espera isso de cada um dos Seus discípulos.

Não podemos perder tempo, olhando para ventos e ondas. É nossa tarefa permanecermos no barco, navegando sempre, se necessário, gritando ao Senhor por socorro. Ele fará cessar as ondas, se for do Seu agrado. Nosso coração precisa estar fixado no fato de que, do outro lado, há muita gente sofrendo, à nossa espera.

Escandalizados e confusos com o drama atual da igreja, muitos tem perdido tempo com críticas, justificativas, desculpas, indiferença, esfriamento espiritual, afastamento da igreja, falta de compromisso, incredulidade etc. A verdade é que, apesar de todos os males que assolaram a vida da igreja em sua história, se Deus ainda está fazendo coisas maravilhosas hoje, é porque os que vieram antes de nós não pararam de remar, apesar do alto preço que pagavam.

Portanto, hoje, ouçamos a voz do Espírito Santo que nos adverte dizendo: “Lança o teu pão sobre as águas, porque depois de muitos dias o acharás... Quem observa o vento, nunca semeará, e o que olha para as nuvens, nunca segará... Pela manhã semeia a tua semente, e à tarde, não retires a tua mão, porque tu não sabes qual prosperará...” (Eclesiastes 11.1,4,6).

Aqui, onde estamos, ali, um pouco mais longe, e até os extremos da Terra é o lugar onde devemos proclamar o Reino de Deus. No mesmo espírito do apóstolo aos gentios, devemos afirmar sempre: “Eu sou devedor, tanto a gregos quanto a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes. E assim, o quanto está em mim, estou pronto a vos anunciar o Evangelho... (Romanos 1.14 e 15).

A pregação do Evangelho envolve compromisso com Deus (paixão pelas almas), conhecimento dos campos (por meio da informação), oração objetiva (vem do envolvimento), liberalidade (investimento financeiro) e falar de Jesus onde estiver, ou para onde for enviado.

A tantos quantos amam ao Senhor Jesus fica o apelo: não se aparte de sua boca a palavra de Deus; preguem a tempo e fora de tempo, quer ouçam ou deixem de ouvir. Levantem os olhos e vejam as almas que estão prontas para se renderem a Jesus; Orem em favor dos obreiros como Jesus nos ensinou a orar; sigam o exemplo dos que, em amor, deram-se a si mesmos e, depois, deram sua contribuição financeira para que o Evangelho continuasse sendo anunciado entre os povos. Comprometam-se com a extensão do Reino de Deus por toda a Terra. Não percamos tempo, não deixemos para outros o privilégio de nos movermos em obediência ao IDE de Jesus, alcançando o mundo pela pregação do Evangelho.

Pastor Elieser Salles

Nenhum comentário:

Postar um comentário