segunda-feira, 28 de março de 2011

DISCIPLINA A CHAVE PARA O SUCESSO FINANCEIRO

Uma estatística da ANEFAC levantou o dado de que apenas 2% dos aposentados e pensionistas brasileiros com mais de sessenta anos conseguem viver com certo conforto. Ao analisar este dado, fico pensando em até que ponto a falta de alvos e indisciplina financeira contribuiu para a existência desta realidade. Em minha experiência como educador financeiro, vejo o quanto a falta de disciplina caracteriza a administração do dinheiro de pessoas e famílias.

Quando falamos de disciplina, normalmente nossa dificuldade é latente. Queremos resultados de curtíssimo prazo. Como é que acumulamos aquelas gorduras indesejáveis (aqueles pneuzinhos) ? Ao longo de anos. Mas quando desejamos nos livrarmos delas, achamos que algumas poucas sessões de malhação na academia resolverá o problema. Ledo engano. Na administração do dinheiro, a disciplina desponta como fator que poderá fazer a diferença entre ser bem ou mal sucedido.

Metas claras – o primeiro passo

Estabelecer metas claras é o primeiro passo no processo de uma administração segura e bem sucedida do dinheiro. Portanto você deve trabalhar firmemente os alvos de ganhar, dar, investir, livrar-se de dívidas, gastar com sabedoria, orçamento, entre outros. Os alvos indicam o caminho a seguir e, com eles, seu caminho rumo ao sucesso financeiro será mais facilmente percorrido.

José – Um exemplo clássico

José, um dos doze filhos de Jacó é um exemplo clássico de administrador do dinheiro segundo os propósitos de Deus. Ele sabia, a partir do sonho do faraó, que haveria sete anos de fartura, seguidos de sete anos de extrema escassez. E é aí que vemos a grande capacidade de disciplina de José. Quando temos muito dinheiro acumulado, nossa tendência é afrouxar as cordas e começar a gastar indiscriminadamente. Então rapidamente o dinheiro desaparece. Mas não foi assim com José. Ele estabeleceu com clareza o alvo de investir 20% (vinte por cento) de toda a produção agrícola egípcia para o período “pós fartura”, e manteve uma disciplina ferrenha para não se desviar de sua meta. A Bíblia diz que a acumulação foi tão grande que não havia números suficientes para expressá-la. (Gênesis 41.33-36; 46-49) O resultado desta disciplina foi patente. A Bíblia relata que no período “pós fartura”, havia fome em todas as terras, mas em todo o Egito havia alimento. (Gênesis 41.53-54). E o mais espetacular em tudo isso é que esta disciplina de José abençoou toda a humanidade de sua época.

Mantendo a disciplina

Na sociedade em que vivemos, o sistema de crédito tem roubado nossa capacidade de disciplina. Por que economizar se o crédito está disponível em qualquer loja? No entanto, as conseqüências negativas do endividamento afetam diretamente as pessoas e famílias. Por vezes vejo a perplexidade estampada no rosto das pessoas quando cito exemplos de economizar durante curtos períodos de tempo (3 a 6 meses) para só depois comprar sem fazer dívida. Os que se disciplinam da administração do dinheiro chegarão à frente na corrida incessante pela sobrevivência e meu desejo é que você esteja neste time dos disciplinados, pois sem disciplina, muito pouco conseguiremos fazer.

Disciplina para alcançar o alvo

Jesus compara o discipulado cristão à nossa capacidade de disciplina. Quando vamos construir devemos saber se nossos recursos são suficientes para alcançar o alvo desejado, sob o risco de cairmos em desgraça e sermos inclusive ridicularizados (Lucas 14.25-28). Tanto nos alvos de curto prazo (construção de reserva para emergências), como também nos alvos de médio e longo prazo (troca de carro, casa, aposentadoria, etc.) necessitamos de disciplina para não ficarmos pelo meio do caminho. Paulo, o apóstolo mantinha a disciplina. Ele se comparou a um atleta que envida todos os esforços para conseguir o prêmio nas competições esportivas. (1Corintios 9.24-27)

Recompensa pela disciplina

Poucas pessoas ainda conseguem avaliar o impacto positivo da disciplina para o sucesso financeiro. Por exemplo, uma mensalidade de R$ 800,00 para o pagamento da universidade de seu filho se tornaria em apenas R$ 266,67 se você começar a investir essa quantia quando do nascimento dele até que complete 18 anos. Alie a isto os ganhos de rentabilidade numa aplicação financeira (ainda que seja a conservadora poupança) e seu alvo seria atingido bem antes dos 18 anos. Portanto, não se demore. Estabeleça os alvos e imprima a disciplina para alcançá-los.

Fonte: Paulo de Tarso, Finanças para a Vida

Nenhum comentário:

Postar um comentário