terça-feira, 11 de outubro de 2011

Será que existe “pecado zero”? Ou pecado light?

Pecar não se limita a quebrar regras morais ou éticas. É sobre isso que Paulo fala, ao declarar: “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas convêm” (1 Co.6:12a).

Há, pelo menos, quatro elementos que compõe o cenário que nos induz ao pecado:

1 – Equipamento

2 – Desejo

3 – Oportunidade

4 – Justificativa

Se dispomos do equipamento para pecar, e este foi dado ou permitido pelo próprio Deus, então, por que nos privar de usá-lo?

Nosso corpo está devidamente equipado para a prostituição. E são ítens de fábrica! Como se não bastasse o “equipamento”, temos também o desejo. Como lidar com a libido? Como controlar o impulso que vem de dentro? O trabalho que o diabo tem é o de catucar a onça com vara curta. 

O mal está latente em nós. Paulo chega a uma conclusão terrível: “Eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum. Com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Pois não faço o bem que quero, mas o mal que não quero, esse faço (…) Pois segundo o homem interior, tenho prazer na lei de Deus, mas vejo nos meus membros outra lei que batalha contra a lei do meu entendimento, e me prende debaixo da lei do pecado que está nos meus membros” (Rm.7:18-19,22-23).

Portanto, temos o equipamento e o desejo necessários para pecar. Falta-nos dois outros elementos: a oportunidade e a justificativa.

Satanás se encarrega de criar tais oportunidades. Foi a isso que Jesus chamou de “peneirar”. O cenário é armado. Nossos apetites instigados. Porém, nos esbarramos com a nossa consciência. Como convencê-la de que aquilo é razoável?  E se não a convencermos, como driblá-la pra que não se interponha em nosso caminho?

O que seria pior, entregar meu corpo a uma relação adúltera ou acessar sites pornográficos? 

O que seria menos danoso à saúde espiritual, usar minha língua para mentir ou para fofocar?

Usar minhas mãos para roubar ou para esmurrar alguém?
 
Só há uma maneira de vencer a lógica e o assédio do pecado: Fitar nossos olhos em Jesus, que pelo gozo que Lhe estava proposto resistiu a todas as tentações, suportou a cruz, desprezou os escárnios, abriu mão de usar de Suas prerrogativas divinas, e Se rendeu completamente à vontade do Pai (Hb.12:1-3).

Bispo Hermes Fernandes

Nenhum comentário:

Postar um comentário