segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

EBD - A TRAMA DE JACÓ PARA ENGANAR SEU PAI

Lição 03 - 15 de Janeiro de 2012

“E foi, e tomou-os, e trouxe-os a sua mãe; e sua mãe fez um guisado saboroso, como seu pai gostava”. Gn 27.14

Verdade Aplicada

A interferência humana, nos planos de Deus, só traz prejuí­zo para o próprio homem, pois Deus é poderoso para fazer cumprir os seus designíos.

Objetivos da Lição

► Apresentar a riqueza da bên­ção de Deus;

► Ensinar o homem a depender completamente de Deus; e

► Mostrar que o engano traz frutos amargos.

Textos de Referência

Gn 27.15 Depois, tomou Rebeca as vestes de gala de Esaú, seu filho mais velho, que tinha consigo em casa, e vestiu a Jacó, seu filho menor.

Gn 27.18 E veio ele a seu pai e disse: Meu pai! E ele disse: Eis-me aqui. Quem és tu, meu filho?

Gn 27.19 E Jacó disse a seu pai: Eu sou Esaú, teu primogênito. Tenho feito como me disseste. Levanta-te agora, assenta-te e come da minha caça, para que a tua alma me abençoe.

Gn 27.27 E chegou-se e beijou-o. Então, cheirou o cheiro das suas vestes, e abençoou-o, e disse: Eis que o cheiro do meu filho é como o cheiro do campo, que o Senhor abençoou.

Gn 27.28 Assim, pois, te dê Deus do orvalho dos céus, e das gorduras da terra, e abundância de trigo e de mosto.

Gn 27.29 Sirvam-te povos, e nações se encurvem a ti; sê se­nhor de teus irmãos, e os filhos da tua mãe se encurvem a ti; malditos sejam os que te amal­diçoarem, e benditos sejam os que te abençoarem.

A FAMÍLIA DE JACÓ

Jacó era filho de Isaque e neto de Abraão. Ele nasceu agarrado ao calcanhar de seu irmão gê­meo, Esaú. Mais tarde, seu nome foi mudado para Israel, devido a uma experiência sobrenatural, com o Anjo do Senhor, a qual Jacó teve no vau de Jaboque.

Jacó se casou primeiro com Leia (ou Lia) e, depois, com Raquel. Ele foi pai de 12 filhos e uma filha. Seus filhos se tornaram os cabeças das 12 tri­bos de Israel.

O comportamento de Abraão e Sara para com seus dois filhos gerou uma inevitável série de con­flitos no lar, pois Isaque não es­condia sua predileção por Esaú, e Rebeca por Jacó (Gn 25.28). Essa mesma postura incorreta foi assu­mida por Jacó quando se tornou pai. Ele tinha preferência por José em relação aos seus outros filhos.

A PRIMOGENITURA

Apesar de muitas atitudes erradas, Jacó demonstrou gran­de interesse pelas coisas espiri­tuais. Existem sinais de que ele sempre demonstrou inclinação pelo sagrado, ao contrário de Esaú, que a Bíblia chama de pro­fano (Hb 12.16).

Certo dia, para saciar sua fome, Esaú não se incomodou de negociar a sua primogenitura com seu irmão. Por um guisa­do de lentilhas (Gn 25.29-34), Esaú vendeu para Jacó seu di­reito de primogênito.

1. A importância de ser o primeiro filho
Esaú, em um momento de descuido e desinteresse, perdeu algo muito valioso. O direito de primogenitura garantia a he­rança material e espiritual bem como outras bênçãos especiais.

Como se já não bastasse o fato de ter o primogênito de Isaque desperdiçado sua herança em troca de um simples prato de comida, pior ainda ocorreu quando ele dispensou a bênção de Deus — mesmo sabendo que o Senhor prometera fazer de Abraão uma grande nação (Gn 22.15-18).

Ser o primeiro filho é algo tão singular que a Igreja da Se­nhor é chamada de igreja dos primogênitos (Hb 12.23).

2. O ambicioso e o desinteressado
São muitos os que desprezam as bênçãos de Deus e os que as mercadejam. Infelizmente, há pessoas que fazem coisas seme­lhantes hoje. Existem tanto imita­dores de Jacó como de Esaú.

Uma das lições mais valio­sas que podemos extrair desse episódio é que, em vez de obter­mos vantagem dos mais fracos, devemos oferecer ajuda e apoio a eles (Rm 15.1; At 20.35).

Os primogênitos de Israel foram arrolados por Moisés. Mas os primogênitos mencionados em Hebreus 12.23 foram arrolados pelo próprio Deus, nos céus, do qual foram feitos herdeiros por intermédio de Cristo. Devido à tão honrosa posição, como filhos de Deus e cidadãos dos céus, eles são privilegiados com o direito de estar mais perto de Deus que os anjos.


3. A primogenitura mentirosa
A importância da primoge­nitura era tão grande que, mais tarde, havendo chegado o mo­mento de Isaque abençoar seu primogênito, Rebeca usou uma estratégia que levou Jacó a re­ceber a parte mais importante da bênção paternal, a qual ca­bia ao primogênito.

Nessa ocasião, Jacó cometeu quatro terríveis enganos, ele:

(1) mentiu quando afirmou ser Esaú;

(2) mentiu quando declarou que havia feito como seu pai lhe pedira;

(3) enganou Isaque, dizendo que o Senhor tinha trazido a caça a ele rapidamente;

(4) enganou seu pai, passando-se por Esaú, quando aceitou a estratégia de sua mãe e re­vestiu suas mãos e seu pes­coço com pelos, simulando ser seu irmão.

Nunca houve uma época em que uma mentira, de qualquer espécie, pudesse ter agradado a Deus. A Palavra de Deus, do início ao fim, reprova a prática de mentir (Sl 31.18; Pv 12.22).

Nenhum comentário:

Postar um comentário