sexta-feira, 20 de abril de 2012

Que papelão !!!


“Certo dia, a mulher de um dos discípulos dos profetas foi falar a Elizeu: Teu servo, meu marido, morreu, e tu sabes que ele temia ao Senhor. Mas agora veio um credor que esta querendo levar meus dois filhos como escravos” (2 Rs 4.1).

A herança deixada pelo marido à sua esposa e seus filhos, foi apenas dívida. Observando o texto acima, podemos dizer que aquele marido era um crente (e até profeta! ), talvez meio torto mais temia ao Senhor. Naquele tempo filhos eram tido com bens transferíveis e até mesmo penhoráveis para compensação de dividas não resgatadas.

(Até o século IV a.C., o devedor poderia ser preso por causa de dividas não pagas, ou ser feito escravo, bem como os membros de sua família. O principio era: “ A pessoa do devedor responde por causa das dividas”. Mas, naquele século, foi criada uma lei estabelecendo o principio de que: “Os bens do devedor respondem por suas dividas “. Convém lembrar que o profeta Elizeu viveu no século IX a.C., isto é, 500 anos antes dessa lei.)

A irresponsabilidade daquele homem foi digna de toda reprovação, pelo estado de penúria que deixou sua família.

Que humilhação aquela, sofrida pela viúva, em função de constante importunação dos credores de seu marido, batendo amiúde batendo em sua porta, ameaçando levar seus folhos como escravos – aquilo que de mais importante ela possuía.

Muitos pais não se preocupam em oferecer segurança e estabilidade moral, financeira e moral à sua família. Vivem endividados, cobradores batendo à porta todos os dias os filhos sendo molestados na rua e na escola pelos colegas, com expressões que marcam negativamente e afetam a auto-estima dizendo: “Seu pai não paga o que deve. Seu pai deve na cidade inteira. Seu pai é um caloteiro... ”Essa realidade precisa mudar, mormente se acontece na vida do homem de Deus.

O cristão, para ter sucesso com Deus precisa, necessariamente, assumir a responsabilidade do sacerdócio e oferecer segurança e o respeito ao ponto de gerar orgulho no seio de sua família, pelo aconchego proporcionado através da credibilidade e estabilidade paternal, como cabeça do lar. Se você fosse hoje pelo Senhor, qual seria o legado que deixaria para sua esposa e seus filhos?

“O homem de bem deixa uma herança aos filhos de seus filhos...” (Pv 13.22).

Observe o maravilhoso exemplo que a Bíblia apresenta “Jó, homem íntegro e reto, temente a deus que se desviava do mal” (Jó 1.1).

 PR. JOAQUIM FERREIRA SOBRINHO

Nenhum comentário:

Postar um comentário