segunda-feira, 24 de setembro de 2012

A PREGUIÇA

Romanos 12.11

“Trabalhem com entusiasmo e não sejam preguiçosos”.

Introdução
Então... levou o cachorro pra vacinar ontem? Lavou o carro ou a moto, que tava precisando? Já conseguiu fazer aquela faxina no armário?  Limpou de baixo da pia?
Porque a preguiça é um dos sete pecados capitais, e dos pecados, é um dos mais comuns... é um pecado muito cometido.

Qualquer dicionário que você consultar, define a preguiça como aversão ao trabalho, uma tendência viciosa para não trabalhar.

A Bíblia tem muito a ensinar a respeito do mortal pecado da preguiça.
Em Pv 19.15, a Bíblia diz que “Quem é preguiçoso e dorminhoco acabará passando fome”. E ainda em Pv 21.25, diz que “o desejo do preguiçoso o mata, porque as suas mãos recusam-se a trabalhar”.

A preguiça é um pecado que produz uma qualidade de vida negativa, que se revela pela estagnação, pela inatividade... a vida do preguiçoso é parada como um poste.

A preguiça também impede a pessoa de ser uma seguidora de Jesus, porque a preguiça não somente provoca aversão pelo trabalho, aversão pelo esforço físico...
A preguiça ainda provoca indisposição contra Deus, uma apatia, uma indiferença e insensibilidade no coração para com Deus.

O prejuízo espiritual do preguiçoso é esse: ele fica impedido de seguir a Jesus.

Isso é triste, porque muitas vezes a pessoa não segue a Jesus, não é porque ela não quer seguir ou não se interessa por Jesus, não; mas porque está impedida pela sua preguiça...

Então, esse é um pecado que vai matando a alma silenciosamente, mas que mata de fato.

A pessoa preguiçosa, diz o provérbio, passa fome e morre – e isso é verdadeiro, tanto no que diz respeito à vida física da pessoa, como à sua vida espiritual.

O preguiçoso também é como uma rolha de cortiça a flutuar sobre as águas de um riozinho... vai passando sem fazer força alguma e inteiramente despreocupado... assim vive o preguiçoso... ele vai passando sem força, sem ânimo, despreocupado...
A vida de moleza, é muito popular... é o que a grande maioria quer... como se diz, sombra e água fresca. Mas isso é mau.

Há uns, quase 30 anos atrás, Rita Lee cantava: “nada melhor do que não fazer nada...” era uma apologia à preguiça e ela ganhou fama com isso.

E pra viver uma vida assim, sem fazer nada, não é preciso esforço, gastar energia ou ter disposição...

Mas barco sem motor, sempre corre rio abaixo, nunca para cima... assim é a pessoa sem energia e preguiçosa – inevitavelmente, ela irá para a perdição sem fim.
Por causa da preguiça inúmeras pessoas têm perdido a vida em acidentes de carro, de moto... não por serem péssimas na direção, mas por serem boas condutoras... a cochilar na hora errada...
Muitos filhos de Deus estão perdendo batalhas espirituais, porque estão cochilando no ponto!
Na Carta aos Efésios (5.14), o apóstolo Paulo escreveu: “...Você que está dormindo, acorde! Levante-se da morte, e Cristo o iluminará”.

Muitas pessoas têm perdido a saúde e a vida, não por terem abusado de seu corpo pelo pecado, mas pelo fato de não terem dado ao corpo os devidos cuidados e atenções... foram tão negligentes, tão preguiçosos no cuidar do corpo, que adquiriram doenças.

O pecado de “não fazer nada” é chamado teologicamente o pecado de omissão.
Você não precisa fazer nada para se perder: basta negligenciar o que a sua alma precisa e basta não cuidar de suas necessidades espirituais, que você se perde.

É muito perigoso a pessoa que responde: “Estou aqui sem fazer nada... estou à toa!”

Jesus afirmou que é muito fácil a gente se perder... Ele até disse (Mt 7.13): “Entrem pela porta estreita porque a porta larga e o caminho fácil levam para o inferno, e há muitas pessoas que andam por esse caminho”.

No Evangelho de Mateus, capítulo 25, lemos da Parábola dos Talentos, da história que Jesus contou de três empregados que receberam uma quantia de dinheiro do patrão para administrar e produzir a partir dele, e do julgamento que um dos empregados recebeu por ter sido mau e preguiçoso.
No dia da prestação de contas, o julgamento dele foi, está escrito no v.24: “Aí o empregado que havia recebido cem moedas chegou e disse: “Eu sei que o senhor é um homem duro, que colhe onde não plantou e junta onde não semeou. 25Fiquei com medo e por isso escondi o seu dinheiro na terra. Veja! Aqui está o seu dinheiro.”
26– “Empregado mau e preguiçoso!”, disse o patrão. “Você sabia que colho onde não plantei e junto onde não semeei. 27Por isso você devia ter depositado o meu dinheiro no banco, e, quando eu voltasse, o receberia com juros. ...e no v.30, lemos: “E joguem fora, na escuridão, o empregado inútil. Ali ele vai chorar e ranger os dentes de desespero.”

O empregado mau e preguiçoso não fez, diretamente, nada de errado ou mau... ele simplesmente deixou de cumprir com o seu dever... o pecado dele foi a preguiça... o pecado de não fazer nada. Foi omisso.

Nesse mesmo capítulo do evangelho de Mateus, está outra história preciosa que Jesus usou para ensinar os discípulos: a história das Dez Moças.
Elas haviam sido chamadas para recepcionar o noivo...  então, por mais que o noivo demorasse, elas tinham o dever de aguardá-lo e acompanhá-lo na festa do casamento, por isso, cada uma pegou a sua lamparina e foi... vai que o noivo demorasse mesmo...

Pois, dito e feito, lemos aqui na história, no v.5, que “Como o noivo estava demorando, as dez moças começaram a cochilar e pegaram no sono. À meia-noite se ouviu este grito: “O noivo está chegando! Venham se encontrar com ele!

Mas, metade das moças, cinco delas, quando o noivo chegou, elas não participaram... tinham ido comprar óleo para suas lamparinas e não tiveram o acesso à festa do casamento.

Mas por quê? ...o erro delas não foi que tivessem cometido algo imoral, não foi que tivessem falado alguma mentira, não foi que tivessem trapaceado... não; o erro delas foi a preguiça de preparar óleo suficiente...

Aquelas cinco moças, apenas haviam deixado de preparar a quantidade necessária de óleo para as suas lamparinas.

Então foram julgadas... a porta fechou pra elas e quando bateram, insistindo para entrar, lemos no v.12 que o próprio noivo respondeu: “Eu afirmo a vocês que isto é verdade: eu não sei quem são vocês!”  e elas perderam...

Em todos os setores da vida, o preguiçoso sempre sai perdendo. Repita isso!
O estudante preguiçoso, que passa a aula só brincando, só de conversa no fundo da sala com os colegas, que vai pra escola só pra merendar (...hummm, essa observação me é familiar)... esse estudante pode esperar ver notas 9 e 10? ...só se for no boletim dos outros... dos esforçados!

O atleta preguiçoso, que não faz os exercícios de alongamento, que não cuida da alimentação, pode contar com o anúncio do seu nome no podium? ...só se for para ser posto em ridículo... ninguém comemora o último lugar!

O membro de célula preguiçoso, que não sai para fazer o discipulado, que não respeita o horário do quarto de escuta, que não faz contato com amigos não-crentes... pode esperar ser levantado como futuro líder de célula? ...esperar pode, só que nunca será confirmado na liderança!

Em geral, somente pessoas que se esforçam é que recebem honra.
É assim na roça, na cidade... no comércio, na escola, no trabalho, na célula da igreja...

Em qualquer setor da vida, a preguiça é sempre castigada e a fidelidade é recompensada.

Então, entenda que a preguiça destrói... ela é um pecado que mata.
Muitas pessoas tem preguiça de vir ao culto, aos domingos pela manhã... elas gostam de dormir até mais tarde, ou então de jogar uma partida de futebol ou se envolver com os preparativos do almoço.

Outros gostam de ficar em casa para adiantar um servicinho e depois, ouvir um sermão pelo rádio ou pela TV... e acham que isso vale!

Outros, por preguiça, descuidam por completo do quarto de escuta... o apóstolo Paulo disse que “se deve orar sem cessar” (1Ts 5.17)... ele queria dizer com isso que devemos, a todo tempo, nos conservar na atitude de oração.

Mas, pelo fato de sermos preguiçosos nisso, negligentes com a oração, negligentes com o ajuntamento das células para culto ao Senhor, negligentes com o quarto de escuta – aquele momento particular na presença de Deus pra receber orientação dEle, e assim, se seca a unção que recebemos do Espírito Santo.
Eu preciso recordar a mim mesmo que, se não tenho um tempo de oração pela manhã, 5 ou 10 minutos que sejam, muitas atividades irão se amontoar durante o dia, desorganizando a minha vida...

Irmãos, se a gente prefere ter uma soneca extra a separar 15 minutos para estarmos em oração, essa preguiça nos trará prejuízos.

Mas, é incrível como consentimos que qualquer coisa, mesmo sem importância, interfira com o nosso encontro com Deus.
Se você tivesse a honra de uma audiência com o Presidente da República, é mais que certo que você fará tudo para chegar antes do horário, e nunca depois. Além disso, você gastará um bom tempo se vestindo e pensando no encontro com uma pessoa tão distinta.

Agora, é incrível como tão facilmente deixamos para depois a nossa hora de estar escutando Deus...

Quase nunca preparamos a nossa mente para esse tempo... o que costumamos fazer é dar a Deus o tempo que sobrou do nosso lazer ou os últimos instantes antes de irmos dormir... daí, já estamos tão cansados e com tanto sono, que não alcançamos o que Deus tem para falar.

Assim, somos culpados do pecado da preguiça.

Muitos filhos de Deus também pecam por preguiça de ler a Bíblia.
Na segunda Carta do apóstolo Pedro 2.2, temos esse ensino: “Sejam como criancinhas recém-nascidas, desejando sempre o puro leite espiritual, para que, bebendo dele, vocês possam crescer e ser salvos”.

O motivo por que muitos crentes não crescem espiritualmente está no fato de não lerem a Bíblia.

E por que não estão lendo a Bíblia? Porque são negligentes e preguiçosos... a pessoa tem a Bíblia em casa, e às vezes, até mais de uma, e não lê a Palavra de Deus. (vamos devolver pra Ele?)
Conta-se que numa casa, no dia de faxina, a mãe distribuiu as tarefas e para um dos filhos menores foi dada a incumbência de fazer uma limpeza no armário, onde havia várias coisas acumuladas há muito tempo. Entre essas coisas estava uma Bíblia grande. O garoto apanhou-a e perguntou: "Mãe, que é este livro tão grande?" A mãe respondeu: "Esse livro, meu filho, é a Bíblia – a Bíblia é a Palavra de Deus!". Aí, disse o garoto: "Então, por que a gente não devolve para Deus... aqui em casa ninguém usa mesmo!"

Eu fico admirado com as Bíblias esquecidas nos bancos aqui... foram esquecidas e assim ficam a semana inteira... mas quando se esquece um par de brincos... o celular... o óculos...hummm!

O salmista dizia que meditava nas leis de Deus, de dia e de noite; e o resultado disso foi que ele tinha entusiasmo e alegria no coração. De maneira poética, ele escreveu que as palavras de Deus eram como mel para ele.
Muitos crentes não têm nem alegria nem entusiasmo na vida que levam... e a explicação disso é que não estão lendo a Bíblia.

Talvez você seja culpado desse horrível pecado da preguiça de ler a Palavra do Senhor... você está deixando de fazer aquilo que devia fazer.

Outros muitos filhos de Deus são preguiçosos em procurar pessoas não-crentes afim de se tornar um amigo interessado na conversão, na mudança, da vida delas.
Quanto tempo faz que você não compartilha o Cristo que está em você com uma pessoa amiga?

Há muitas pessoas a seu redor, com quem você se dá maravilhosamente bem, que estão precisando de Jesus em suas vidas, e no entanto, não saiu ainda dos seus lábios uma palavra que tentasse ganhá-las para Jesus.

Então, você é culpado do pecado da preguiça e outros se perderão por causa dessa sua preguiça!

Outros, se mostram preguiçosos, lerdos, devagar e negligentes na sua maneira de viver.
É pecado ser preguiçoso na maneira de se vestir, sabia? A mãe deixou a roupa arrumadinha pra você vestir após o banho e sair para a reunião da célula... mas você vai para o encontro da célula com a roupa do dia inteiro, e pior, sem o banho...

A preguiça de cortar o cabelo ou aparar as unhas... isso é pecado!

O pecado da preguiça se estende a muitas outras áreas, tais como:
Descuidar da higiene pessoal... não conservar o sorriso no rosto, sejam quais forem as circunstâncias...
Às vezes o calo do pé da pessoa  doendo e meio-mundo fica sabendo, porque ela não é capaz de sorrir, negligencia o cuidado com a aparência...

E a preguiça de prestar um favor, de ajudar os vizinhos...

E a negligência do dízimo? ...porque dizimar não é opção, é mandamento de Deus.
E mandamento abençoado, porque quando você devolve o dízimo, isto é, 10% do sustento que você tem tido...

Se seu sustento é de R$ 200,00, o dízimo, a décima parte é R$ 20,00... e entregando esta parte do seu sustento, a parte que fica com você, a de 90%, torna-se abençoada e não irá vazar entre os seus dedos.

O dinheiro do não-dizimista vaza, escoa com terrível facilidade: é com remédios, é com desperdícios, é uma quantia que se perde, outra que se vê consumida por despesas sem explicação...

Mas quando entregamos o dízimo fielmente ao Senhor, o nosso dinheiro é abençoado... pode ser pouco, mas proporcionará o nosso bem.

Na Bíblia, lemos na Carta aos Romanos 12.11, esta palavra: “Trabalhem com entusiasmo e não sejam preguiçosos”.
Martinho Lutero, num de seus sermões, contou a seguinte história: que o diabo convocou os seus agentes para uma reunião de apresentação dos relatórios... cada demônio tinha que apresentar os resultados da tarefa recebida. Um deles foi dizendo logo: “vi um grupo de cristãos em pleno deserto e aticei animais ferozes contra eles e todos morreram”. O diabo replicou: “Ora, que vantagem! A alma deles foi salva!” Outro agente disse: “Eu vi um ônibus cheio de cristãos e provoquei um acidente com aquele ônibus, e todos os cristãos morreram carbonizados”. E o diabo de novo disse: “Ora, que vantagem há nisso... a alma deles foi salva!” E um terceiro agente relatou: “Eu me ocupei só com uma pessoa e fiquei o tempo todo tentando fazer com que ela descuidasse da sua alma, e por fim, consegui isso e ela agora é nossa!” Então, o diabo deu uma gargalhada de satisfação e todo o inferno comemorou.

O pecado da preguiça, da indiferença, da negligência, parece inocente, mas é mortífero, tanto quanto os outros pecados e têm contribuído para aumentar a população do inferno.

O pecado da preguiça deve ser confessado.
Tiago, em sua Carta, escreveu isto (4.17): “comete pecado a pessoa que sabe fazer o bem e não faz”.

Quando Cristo foi crucificado uma multidão se reuniu ao redor da cruz... e naquela multidão, havia muitos lá que estavam cometendo o pecado da preguiça, porque diz o Evangelho de Mateus (27.36), que “sentaram ali e ficaram guardando Jesus”... ficaram sentados, guardando, vendo o tempo passar... sentados sem fazer nada...

Quanta indiferença... e pouco antes de dar Seu último suspiro, Jesus olhou para os pecadores ao pé de Sua cruz: ladrões, assassinos, viciados, hipócritas, orgulhosos, invejosos, glutões, preguiçosos... e disse: “Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem” (Lc 23.34).

E naquele momento, todo o pecado de todos os pecadores, caiu sobre Cristo e Ele morreu... mas por meio desse ato, dessa morte de cruz, o perdão de Deus foi liberado.

Talvez tenha perdido oportunidades por preguiça... mas Cristo conquistou perdão para você!

Conclusão
Hoje, a salvação está ao alcance de cada um aqui.
Jesus está vivo, ressuscitou depois de três dias morto – Ele derrotou a própria morte. Aleluia!

Então, Jesus está aqui, tão perto quanto a sua vontade queira que Ele esteja, e tão longe quanto você queira que Ele esteja...

A sua vontade, negligente e preguiçosa, é á única coisa que pode impedir que Jesus entre em seu coração e mude a história da sua vida.

Quem sabe quantas oportunidades perdidas, quantas dores sofridas você juntou até agora por causa da preguiça de buscar a Deus, de obedecer a Deus, de fazer aquilo que é certo?

Ah! você tem uma alma preciosa para Deus... receba Jesus no seu coração... e se você andava fraco, sem vontade de fazer o bem, ganhe novas forças agora... tão somente, abra o coração... receba Jesus... seu Salvador está perto... receba Jesus!!!



Pr Walter Pacheco da Silveira,

Nenhum comentário:

Postar um comentário